Acervo Museológico – MI-FUNAI

  • : Sim
  • : Museu do Índio - FUNAI
  • : acervo museológico
  • : Português
  • : Referência sobre as 15.835 mil peças etnográficas do Museu, classificadas nas categorias Adornos ecléticos, Adornos plumários, Armas, Cerâmica, Cestaria, Couros, Etnobotânica, Fibras e tecidos, Instrumentos musicais, Máscaras, Objetos rituais mágicos e lúdicos e Utensílios e implementos, 
Apenas alguns itens, cerca de 2 mil peças da categoria de cerâmica foram fotografas e encontram-se ilustradas na base, entre elas boneca Karajá. Todo o material do Serviço de Museologia encontra-se disponível para pesquisa local.
A busca a este acervo, pode ser realizada através de uma palavra aleatória, número de tombo da peça, nome do objeto, categoria, função ou grupo indígena. Ao realizar a busca, serão disponibilizadas as seguintes informações: descrição do objeto, o grupo a qual pertence, a região a que está localizado, o ano de coleta, as dimensões, assim como a função que o mesmo desempenha, a técnica de confecção e em alguns casos, como as boneca Karajá, a visualização de fotos.” (fonte: site do Museu do Índio). O acervo do SEMU está dividido em “reservas”: I- Reserva Cerâmica; II- Reserva Berta Ribeiro, contemplando as categorias cestaria, armas, etnobotânica, madeira, instrumentos musicais, objetos de rituais, brinquedos, utensílios, implementos domésticos e mascaras; e III- Reserva Plumária, divida em plumária, tecido, couros e adorno. Transversalmente às reservas e às categorias, o material é também classificado por sua localização espacial (em regiões). Todos os objetos do acervo museológico do Museu do Índio estão catalogados e disponíveis para busca na base de dados da internet. Futuramente, contempla-se a possibilidade de fotografar a totalidade dos objetos e disponibilizar suas imagens nesse meio de busca virtual. Numa varredura na base dados da internet, vê-se que a maioria do material museológico do Museu do Índio acessado a partir do filtro “Guarani” refere-se aos Kaiowá do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul. Além dessas, podem ser identificadas uma série de peças dos Mbyá Guarani em São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul. Dentre os objetos podem ser encontrados: utensílios domésticos, como peneiras, panelas, facas de material orgânico, bancos, recipientes, colheres, agulhas, machados de pedra, abanos; itens de cerâmica, cacos, urnas funerárias, cachimbos; instrumentos para a caça, como laços, flechas, chamarizes de caça, arcos, bodoques; objetos voltados ao adorno corporal, como furadores de lábio, orelha e nariz, adornos, colares; objetos de uso pessoal, como bolsas e cestos; instrumentos musicais, como chocalhos, bastões, apitos; e ainda figuras de madeira, zoomorfos, brinquedos e objetos rituais, como o cetro. Importante destacar os padrões geométricos que compõem a decoração destes objetos. Por fim, está sendo incorporado ao acervo, material museológico referente aos Guarani no Rio de Janeiro adquirido para a exposição “Tape porã – impressõs e movimento - os Guarani no Rio de Janeiro”, com mais cestarias, instrumentos musicais, objetos rituais, colares, roupas etc. (Levantamento INRC Guarani por Bruno Marques).
  • : 1949