Acervo arqueológico – MARS

  • : Sim
  • : Museu Antropológico do Rio Grande do Sul
  • : Português
  • : Votouro
  • : O conjunto dos objetos arqueológicos não está tombado ainda, pois carece de uma sistematização mais aprofundada, de modo a estabelecer as condições para a exploração do potencial de pesquisa. Atualmente, ao pesquisador são disponibilizadas algumas listagens e descrições técnicas disponíveis dos objetos, bem como o “Relatório Parcial: reestruturação do acervo arqueológico Museu Antropológico do Rio Grande do Sul - MARS” (março de 2001), sob responsabilidade da arqueóloga Karla Maria Fredel. Estes instrumentos fornecem alguns critérios para o quadro geral da quantidade e da qualidade dos objetos, como o tipo, o sítio em que foi coletado, o setor, o pesquisador, a profundidade da coleta e outras eventuais especificações. A produção deste relatório se deu concomitantemente a um trabalho de reorganização do acervo, considerando as precárias condições de armazenamento e reconhecimento do material arqueológico com que a equipe de pesquisa se deparou. Este trabalho resultou na devida separação dos objetos com base em seus materiais constitutivos, bem como na adoção de uma numeração própria ao MARS para a referenciação dos objetos e sua catalogação. Segundo o “Relatório Parcial”, o acervo arqueológico do MARS conta com 20 mil peças de diferentes tipos: vestígios cerâmicos, líticos, vestígios de louça colonial, de vidro, de metal, de ossos, de madeira e de sambaquis. Dentre os sítios arqueológicos que de onde provem os objetos disponíveis no MARS, os associados à tradição Tupiguarani são: Alto Uruguai (Mondaí, Caibi, Palmitos-SC, Alecrim, Iraí-RS), Sítios no Escudo Cristalino (Sentinela do Sul, Morro do Emboaba, Sertão Santana), Missão de São Miguel Arcanjo, Osório, Morro da Fortaleza (Itapuã), Lagoa Negra. Nesses sítios, há um grande número de fragmentos cerâmicos de variada tipologia (simples, pintado, corrugado, ungulado, corrugado ungulado, escovado, roletado, serrungulado, ponteado, além de outros não classificados), bem como uma certa quantidade de líticos e ossos. Existe outra parte do acervo que não foi contemplada no “Relatório Parcial”, oriunda de pesquisas de Sergio Leite em locais como Maquiné, Pinhal Grande, Casca, Terra Indígena Votouro. Esses objetos foram superficialmente descritos em algumas fichas disponíveis no MARS. Há uma série de peças avulsas também não registradas, não inseridas em nenhuma listagem, das quais a qualidade das informações variam. (Levantamento INRC Guarani por Bruno Marques, Flávio Gobbi e Maria Paula Prates).